au pair

Relatos de uma aupair | Entrevista com Jaqueline Tuane Bravin

É sempre bom ter uma ideia de como é a REALIDADE do programa antes de embarcar. Você estará saindo do seu país, indo para um lugar com uma cultura e língua totalmente diferente.

Por isso é essencial ir muito bem preparada, saber que nem tudo são flores e que não será fácil.

Aprender com as meninas que já foram é o primeiro passo nessa preparação, por isso o post desta semana é uma entrevista com a Jaqueline, uma garota incrível que já foi au pair.

A experiência foi tão marcante na vida dela que hoje ela está escrevendo um livro: Get lost! Or A book about America.

jaqueline tuane bravin

Você está pronta para mergulhar na história dela? Então vamos lá…

Como você ficou sabendo do au pair?

Uma amiga minha da faculdade fez o programa Au pair e como ela teve uma “boa experiência” decidi que seria a melhor escolha para estudar e trabalhar nos Estados Unidos.

O que te motivou a começar o processo?

Aprendi Inglês na faculdade mas queria ficar fluente.

Quanto tempo demorou da sua decisão até chegar na host family?

4 anos. Faltavam três anos para terminar o Curso de Secretariado Executivo e meu objetivo era ir após o curso terminar (termine a faculdade antes de ir). O processo demorou uns seis meses, mas eu não estava com pressa no começo, independente disso sei que ficamos ansiosas.

Tive Match com a primeira família no meu perfil. Minha dica, continua sua vida e faz entrevistas com calma, sem pressa de vir. O importante é encontrar uma família boa que respeite as normas do programa. Se você pensa que sua vida é  ruim no Brasil, tem pressa de vir e por isso não pesquisa e aceita qualquer family, vai se encontrar em maior dificuldade estando “relativamente sozinha” em um lugar completamente diferente do que está acostumada, sem amigos de longa data, sem casa pra morar em caso de rematch, etc, etc.

Defina bem seus objetivos antes de vir e tenha em mente se sua family vai levar em consideração seus objetivos com esse trabalho-estudo que é o programa de Au pair. Ame kids, vai passar muito tempo com elas!

Como era o local que você vivia?

First Family: Cidade “pequena” El Dorado Hills, California. West Coast. Quarto era espaçoso, com lareira e televisão, tinha um banheiro maravilhoso, um closet enorme e uma cozinha. A casa era dentro de um condomínio fechado, onde a maioria das pessoas jogam Golfe, e a casa era grande, limpa, tinha piscina, jacuzzi – casa de família classe alta nessa região dos Estados Unidos. Tinha “empregada” toda sexta-feira que limpava a casa. O jardim era o campo de golf.

Kensington, Maryland. Meu quarto era no último andar, parecia que estava na casa da minha vó. Totalmente simples, tinha um banheiro pequeno. A casa era de bricks, típica dessa região. East Coast. Era cheia de livros e não era muito organizada. O que amei porque tava cansada de ser a louca da limpeza como na casa anterior. Amava a região, tinha ônibus e metrô para ir para a capital – Washington D.C. Tudo era muito verde, me lembrava o Brasil. Diferente da Califórnia era úmido e chovia bastante no verão.

Qual foi o seu maior desafio durante o intercâmbio?

Como já disse, estou escrevendo o livro. O que as agências vendem para nós é diferente do que vendem para as famílias. Na primeira família não tinha uma agenda correta. Tive muito dificuldade em entender o que significa ser parte da família.

Ficar longe da minha family e amigos. Dirigir, mas perdi o medo! Eu acho! lol.

jaqueline bravin

Você teve algum rematch? O que motivou? A segunda família foi melhor?

Tive um rematch. O motivo foi que eu queria o que me foi oferecido pela agência e a família esperava o que foi vendido para eles. A agência deixa em aberto muitas regras. Minha Schedule foi o pior problema pra mim. Minha family gostaria que eu passasse mais tempo com eles. More than 45 hours e eu sentia que tinha que ir fazer minhas coisas.

Qual foi o momento mais marcante de tudo?

Rematch.

Qual lugar você mais gostou de conhecer durante o au pair?

Yosemite, Santa Cruz, Washington D.C., Hollywood, San Diego.

O que o programa realmente acrescentou na sua vida tanto pessoal quanto profissionalmente?

Fluência no speaking. Perder o medo de dirigir. Se virar sozinha (no exterior).

O que você falaria para uma menina (ou menino) que começou o processo de au pair hoje? Alguma coisa que gostaria que tivessem te dito?

Que respeitem sua agenda e horários off.

Tenha certeza dos seus objetivos antes de embarcar e continue firme na sua decisão.

Lembre-se que você também está entrevistando sua family e não apenas sendo entrevistada. PERGUNTE COISAS DO SEU INTERESSE. Se teve Au pair anterior, fale com ela. Se não querem que fale com ela, me desculpe, mas caia fora.

Eu achei uma grande experiência da Jaqueline, e vocês o que acharam?

Você já leu o outro relato que temos por aqui? Clique abaixo para ver:

Relatos de uma au pair | Entrevista com Rayanne Cunha

 

 

Enjoy your year, enjoy yourself, have some fun, LEARN the language, travel.

2 comentários

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: