Entrevista e teste de inglês da Cultural Care [Brasília]

Quando as semanas começaram a passar e não entrou nenhuma família no meu perfil no site da Au Pair Care, comecei a ficar extremamente angustiada e ansiosa. Como vocês já devem imaginar, a espera não é nada fácil.

Por isso fui atrás da Cultural Care para dar uma nova chance ao intercâmbio de au pair, me dar uma possibilidade maior de fechar com uma família e ir para os Estados Unidos.

Quando você fecha com uma agência é preciso fazer uma entrevista para ver se você está dentro dos requisitos. Já mostramos aqui no blog como foi comigo para a Au Pair Care e como foi com a Hangelica para a APIA

Como contei para vocês no último post, eu decidi ir para Brasília fazer a entrevista e o teste de inglês, assim o resto do processo inteiro seria a distância. Então neste post vou contar para vocês os detalhes dessa viagem para fechar com a Cultural Care.

Vamos lá então…

Viagem para Brasília

A primeira coisa que precisei resolver foi quando eu iria a Brasília, afinal comprar passagem de avião de um dia para o outro não é algo tão barato assim.

A Cultural Care sempre costuma marcar essa entrevista para a semana seguinte, só que isso não seria possível para mim já que ficaria caro demais.

Olhei os valores das passagens no Google Flights e vi que estaria mais possível para o dia 13 de junho. Liguei para a CC, expliquei a situação das passagens e elas ligaram para a representante local para ver se a data seria possível. 

Conseguimos chegar em um acordo de que eu faria essa entrevista no dia 14 de junho, então precisei ir atrás de três coisas:

  • Passagem de avião – Paguei em torno de 600 reais ida e volta (por faltar menos de um mês, se a data fosse mais longe eu conseguia por menos). Peguei a passagem de ida para o dia 13 e a de volta para o dia 15 de madrugada;
  • Valor do teste de inglês – Foi apenas 40 reais para a Cultural Care, o resto apenas se fosse aprovada na entrevista;
  • Hospedagem – Seria apenas duas noites, de quinta para sexta e de sexta para sábado. A primeira noite fiquei no Hostel 7, paguei apenas 60 reais. A segunda me hospedei através do Couchsurfing que é de graça.

Minha ida era as 7 da manhã do dia 13 de junho, então eu chegaria em Brasília pelo meio dia e poderia conhecer um pouco mais a cidade. Só que, quando cheguei no aeroporto o vôo estava cancelado por ter muita névoa. 

Tive sorte que havia marcado a entrevista para o dia seguinte porque só consegui um outro vôo para as 19 horas, 12 horas depois do que havia marcado.

Acabei perdendo um dia de passeio, cheguei em Brasília já eram 22 horas e fui direto para o Hostel. Achei o lugar um amor e fiquei até tarde conversando com outros hóspedes. Achei uma brincadeira do destino ter um grupo de CTG inteiro (Centro tradicionalista Gaúcho) bem onde eu estava hospedada.

Dê manhã tomei café no hostel mesmo e fui para a entrevista que havia sido marcada em um café de Brasília.

Entrevista com a representante

teste de inglês CC

Eu cheguei um pouco cedo no Café lá me Brasília e percebi que eu não sabia nem o nome da minha entrevistadora. Tomei um cafézinho e liguei para a Cultural Care, eles me passaram o nome e disseram que era só aguardar.

Eu não estava nervosa, mas como a moça não chegava nunca comecei a ficar extremamente ansiosa. Afinal não foi barato ir até ali né!

Então recebi uma mensagem que o ônibus havia atrasado um pouquinho, mas ela já estava chegando lá.

Quando ela chegou foi muito tranquilo, conversamos muito e entre os assuntos ela me questionou o seguinte:

  • Qual era a minha experiência com crianças;
  • O motivo para eu querer ser au pair;
  • Se alguma criança já tinha se machucado estando comigo e o que eu fiz;
  • Minhas maiores dificuldades com as crianças;
  • O motivo de eu viver tão longe da minha família, o que meus pais pensavam disso, se meu namorado me apoiava;
  • Se eu já havia ido em algum psicólogo por ter perdido os meus pais;
  • Sobre os meus estudos.

Apesar de parecer muita coisa foi tudo através de uma conversa muito tranquila, compartilhamos várias histórias e pareceu mais um café com uma amiga mesmo. Ela até me deu dicas sobre o que fazer de tarde ali em Brasília. Foi realmente um amor comigo.

Depois dessa parte ela falou que eu precisava fazer o meu teste de inglês…

Teste de inglês via Skype

inglc3aas-por-skype.jpg

O teste de inglês da Cultural Care era junto com aquela entrevista, mas não era com a mesma entrevistadora. Na hora que ela falou sobre o teste ela pegou o celular dela e iniciou uma vídeo chamada com uma menina lá de São Paulo.

Na hora do teste de inglês foi o momento que eu realmente fiquei nervosa, já que com a outra agência eu nem precisei fazer, foi tudo muito fácil.

Na hora que a chamada começou eu já avisei ela que estava um pouco nervosa, ela me disse que não era nada demais e começamos o teste:

  • Tell me about what activities you do in your free time.  
  • What ages were the children you cared for in your previous childcare experiences?
  • What do your parents think of your plan to become an au pair?
  • Tell me about your family.
  • What would you do if your kids hosts started fighting over a toy?
  • What would you do if a child gets hurt?

Que eu me lembre foram essas as perguntas que ela me fez. Fiquei bem travada na hora e respondi em poucas palavras para ser sincera. O momento mais difícil foi quando ela perguntou sobre minha família, não pelo inglês, mas por não saber o que falar.

Para essa parte da entrevista – teste de inglês – eu estudei um arquivo que tem nos grupos do Facebook, com diversas perguntas que poderiam cair. Realmente me ajudou bastante!

Eu fiz essa entrevista em Brasília na sexta-feira de manhã, dia 14 de junho, no sábado eu já estava em casa e no aguardo da ligação com o resultado. De tarde eu recebi a ligação avisando que eu havia sido aprovada e poderia seguir com o processo da Cultural Care.

Caiu alguma pergunta diferente para você? Conta aqui nos comentários e ajude outras meninas nessa fase do processo de au pair!

Anúncios