Canadá travel

Dia na Grouse Mountain | acessível de ônibus saindo de Vancouver

No meu tempo nos Estados Unidos, fazer um passeio que desse pra ir esquiar our fazer snowboard poderia levar algumas horas de viagem. E ainda nem sei se existia a possibilidade de pegar um ônibus, já que o transporte público é complicado por lá.

Então imagina a minha alegria quando descobri que conseguia ir para a montanha com o mesmo transporte público que uso pra qualquer outra parte de Great Vancouver. Que é possível pegar o trem, Seabus e o ônibus gastando menos de 3 dólares e chegando ao destino em questāo de minutos… São nesses momentos que me apaixono ainda mais pelo Canada haha!

Como foi algo super divertido e (mais ou menos) barato, decidi contar os detalhes todos por aqui. Ps. saio da vida de au pair, mas a Dora aventureira não sai de mim não. Vem comigo pra saber mais:

Destino

Spoiler da aventura

O lugar que eu mencionei se chama Grouse Mountain e fica em North Vancouver. É simplesmente incrível, a beleza natural é deslumbrante e tem toda uma estrutura que faz tudo valer a pena. Mesmo estando cheio, não fiquei esperando muito tempo para nada! Super organizado e com uma equipe bem completa para atender a todos.

Uma coisa que eu adorei é a quantidade de opções para passar o tempo, me senti na Disney dos esportes de inverno. Tem snowboarding, ski, patinação no gelo, snowshoeing e até uma sliding zone. Para relaxar ainda dá pra ir pro quentinho, tomar um café e olhar as lembrancinhas da Gift Shop. O lugar certo pra realizar todas as fantasias da sessão da tarde hein!

Eu decidi por fazer snowboarding, já que adorava andar de skate uns anos atrás. Nos primeiros minutos eu não fazia ideia do que fazer, pois não paguei aula nenhuma, foi na cara e na coragem mesmo. Conforme fui pegando confianca e caindo milhares de tombos, me diverti demais. A experiência foi muito mais tranquila que eu esperava, nem o frio chegou a incomodar. 

Agora, não incomodou a ponto de ficar tremendo, mas tem um detalhe que poderia ter sido melhor sim. E como é algo que me preocupou muito antes de ir, decidi compartilhar também como foi a questão das roupas para a neve em toda essa aventura:

Roupas

Outfit de milhões (mentira, da promoção mesmo)

Como me mudei para um país que faz muito frio, eu investi em uma jaqueta que me mantesse bem aquecida, resistente a água e bem confortável. Foi da Columbia, e mesmo sem ser aquelas gigantes de neve, foi o suficiente pra mim. Por baixo usei uma camisa térmica e um suéter fininho. 

Calça é mais difícil de usar no dia a dia, entāo nāo gastei nenhum centavo com isso. Usei uma meia calça antiga, uma outra meia calça da Dolorama e a minha calça jeans por cima mesmo. Não me incomodou em nada, não fiquei com frio e nem senti a neve em todos os tombos que cai. Só que no final do passeio percebi que estava encharcada, então numa próxima vez levaria uma troca de roupa para ir pra casa seca. Ps. conversei com duas brasileiras que estavam lá e alugaram a calça e ficaram molhadas igual, então nem acho que esse gasto valhe a pena, mas opinião pessoal minha.

Além disso, usei a bota de neve alugada com eles, que vinha no pacote com o snowboarding e o capacete, e levei touca e cachecol (os quais nem usei).

Agora vamos ao problema: eu não tinha (e ainda não tenho) luvas próprias para a neve. Eu tenho um par de tecido, mas se colocar na água fica enxarcada, então eu já sabia que não era a melhor ideia do mundo. Só que o pior é que o inverno já estava acabando e revirando as lojas aqui na região não achei pra vender em lugar nenhum. As da Amazon estavam mais caras e demoravam pra chegar, mas repensando, hoje eu teria comprado uma daquelas mesmo.

Levei dois pares de luvas, nenhuma adequada pra neve, e encharcou super rápido. Usei uma pela manhã e eu tinha que tirar toda hora pra não ficar com aquela sensação grudenta na mão. Só que estava frio, minhas mãos ficaram vermelhas e doloridas. Eu ainda inventei de descer a montanha uma vez sem luva, quase congelei a mão depois de colocar as mãos na neve pra parar o snowboarding. Foi o único momento ruim do passeio inteiro, atrapalhou demais.

Até pensei em comprar uma na lojinha que tinha lá, mas $100 num par é demais pra mim, então aguentei com a força do ódio haha.

Falando em dinheiro, vamos ao quanto essa brincadeira toda custou depois de colocar tudo na ponta do lápis…

Gastos

Destruída depois de 137849303 tombos
  • $4.90 ($2.45 ida e $2.45 volta) Translink até o estacionamento da Grouse Mountain, incluiu trem, seabus e ônibus pagando com o Compass Card;
  • $141.10 incluindo o passe para o dia, bondinho que sobe a montanha e pacote de aluguel regular para snowboard (par de botas de neve, capacete e o snowboard);
  • $2.20 em dois cartões postais que esqueci de mandar, como sempre;
  • $19.88 em dois cappuccinos e um lanche na cafeteria lá no topo da montanha.

Totalizando $ 168.08

Os valores variam de acordo com o que você vai fazer, se vai querer aulas ou de repente pegar um pacote com as roupas inclusas. Tem tudo descrito no site deles, é bem tranquilo para se preparar e escolher algo que se encaixe com o que você quer.

É um pouco pesado para só um dia, mas um bom jeito de fazer algo diferente sem gastar horrores também. De maneira geral, valeu muito a pena. 

Um outro detalhe é que levei sanduiche e uns outros lanches na mochila, pra não precisar gastar muito lá. No fim, nem achei o café muito caro, mesma média de preços que os de Vancouver, o que me surpreendeu (e foi bom pra beber algo quentinho).

Transporte

Lift pra subir a montanha

Eu já sabia o quanto o transporte público de Great Vancouver é eficiente, mas gente, tem vezes que ainda é um choque. Saindo de vancouver, são só alguns minutos até a entrada do parque, para mim só demorou mais porque saí de Surrey, a uma hora de distancia. E mesmo saindo de Surrey, utilizando uma hora a mais de trem, o valor foi o mesmo.

Tem tudo no GPS e a internet funciona o trajeto todo, mas na prática esse foi o caminho que eu fiz:

  • Trem da estação King George até Waterfront (Expo Line);
  • Seabus saindo da Waterfront até North Vancouver (é 15 minutos atravessando a água até o outro lado);
  • Ônibus 236 Grouse Mountain, pega logo na saída do seabus e deixa no estacionamento da Grouse Mountain.

E exatamente a mesma coisa para volta. Tudo com o mesmo cartão do ônibus, sem precisar de carro ou caminhar muito pra nada.

Acessibilidade

Outro ponto legal de mencionar que venho notando demais desde que cheguei no Canada é a acessibilidade para todos os tipos de pessoas. E sinal de pedrestre com sons, e calçadas sem um milhão de buracos a cada passo.

Agora, esse passeio em específico me deixou de boca aberta, não só era todo acessível para cadeiras de rodas ou carrinhos de bebês, como ainda tinha aulas e equipamentos especiais para esquiar! Tinha até uma aula em grupo acontecendo quando eu estava por lá.

Incrível ver como, quando se tem investimento, até a diversão pode ser mais acessível.

Visao geral

Eu e o snowboard

Já ficou bem óbvio que amei o passeio e meu único problema foi com meu próprio erro de não ter comprado um par de luvas adequado. Então a minha dica final é acompanhar as redes sociais, já que estão sempre falando sobre as atividades, visibilidade, wheather e qualquer outra informação importante para o passeio. E que vá mesmo, eu quase perdi essa experiência esse ano, porque estava empurrando empurrando e o inverno já estava quase acabando sem eu ter visitado a montanha. O tempo passa muito rápido, se planeje, compre o que precisa, leva uns lanchinhos e aproveita!

1 comentário

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: